Sexo - Resolução 69

Versão: 2.

Sobre

Estes são exemplos de recomendações aplicando o ferramental de Segurança Operacional para relações sexuais, tema sensível e que pode ser abordado por diversas perspectivas.

Aqui a intenção é esboçar práticas possíveis, baratas e com eficácia significativas para evitar o contágio de doenças sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada.

Elas levam em conta as práticas em si e que são assumidas consensualmente entre as partes envolvidas, mas atualmente são incompletas no que concerne a formas de abordagem do tema com pareceiros e parceiras, coações, intimidações, abusos, etc.

Elas constam aqui como modelo, exemplos e não como leis ou regras estritas, servindo também para estabelecer debates sobre essas práticas.

Objetivo

Especifica prática de sexo não-individual, sobre contato com fluidos e sobre o uso de preservativos.

  • EPI: Equipamento de Proteção Individual.
  • EPI Sexual: Equipamento de Proteção para Intercurso Sexual.
  • DST ou IST: Doença Sexualmente Transmissível / Infecção Sexualmente Transmissível.

Modelo de ameaças

  • Parceiro/a(s) pode(m) estar infectado(s) com DSTs - informação conhecida ou desconhecida.
  • Múltiplos parceiros/as (simultâneos ou consecutivos).
  • Gravidez não planejada.

Modo Padrão

  • Sexo oral, anal e vaginal apenas com preservativo (fazendo ou recebendo).
  • Sem sexo durante o período menstrual.
  • Exames periódicos de DSTs.

Modo Especial

Dois ou mais parceiros/as fixos podem estabelecer um acordo mediante o qual podem, apenas entre eles, praticar sexo sem algumas das restrições do Modo Padrão, isto é:

  • Sexo oral e anal sem preservativo.
  • Sexo durante o período menstrual.
  • Caso não haja desejo de gravidez: Sexo vaginal com preservativo (vide resolução EPI) e/ou combinado a métodos contraceptivos alternativos com eficácia equivalente (vasectomia, infertilidade, pílula, DIU, etc).

Parceiros podem cobrar uns dos outros/as que realizem e apresentem os exames periódicos de DSTs.

Referências

As referências abaixo não correspondem necessariamente a fatos cientificamente confirmados, porém serviram de base para a criação e aprimoramento desta especificação.

Uma das dificuldades para criar especificações do tipo é não apenas a falta de informação consolidade e verificada mas também a quantidade de informações desencontradas e portanto em disputa, inclusive presente nas referências utilizadas. Esta limitação, aliás, é um convite para a redação de um guia mais sólido e completo.

Nada substitui a consulta a profissionais, a sua própria pesquisa e usar sua consciência para criar seu próprio conjunto de procedimentos, além de manter um diálogo com suas parceirias sexuais, lembrando que cuidar de você também é cuidar das outras pessoas.